Pragas Urbanas – Antigo

Nomes populares das pragas

Nome popular:  Barata “de esgoto” (Nome cientifico: Periplaneta Americana)

Nome Popular: Barata “francesinha” (Nome Científico: Blatella germânica)

Nome Popular: Formiga Acrobática (Nome Científico: Crematogaster spp)

Nome Popular: Formiga Argentina (Nome Científico: Linepethema humile)

Nome popular: Pulgas (Nome cientifico: Ctenocephalides canis, Ctenocephalides felis, Xenopsylla brasilliens, Pulex irrita)

Nome popular: Traças (Nome cientifico: Ctenolepisma cilliata)

Nome popular: Aranhas (Nome cientifico: Phoneutria sp, Lycosa sp, Loxosceles sp)

Nome popular: Moscas (Nome cientifico: Musca doméstica)

Nome popular: Pernilongos (Nome cientifico: Aedes Albopictus)

Nome popular: Carrapatos Nome comum: Rhipicephalus

Nome popular: Ratazana (Nome cientifico: Rattus norvegicus)

Nome popular: Camundongo (Nome cientifico: Mus Musculus)

Nome popular:  Piolho de cobra (classe dos diplópodes)

Nome popular: Brocas (Nome cientifico: Lyctus Lineares)

Nome Popular: Cupins (Nome Científico: Cryptoternies brevis)

Nome popular: Brocas (Nome cientifico: Lyctus Lineares)

Nome Popular: Cupins (Nome Científico: Cryptoternies brevis)

Nome popular: Mosquito da dengue’ (Nome cientifico: Aedes aegypti – Aedes Albopictus

Nome comum: Marimbondos (Nome cientifico: Himenópteros)

 

Biologia das pragas urbanas

 

Pragas Cupim

Cupins: Existem várias espécies deste tão temido inseto; como o cupim de madeira seca e subterrâneo. Produzem milhões de ovos por ano, se proliferam rapidamente; construindo canais, atravessam paredes atingindo grandes alturas e se instalam em áreas de difícil acesso como frestas, vãos na estrutura do imóvel, subsolo, sempre em busca de sua alimentação.

Pragas Barata

Baratas: As baratas são os insetos mais comuns ao convívio humano, no entanto, das cerca de 4.000 espécies existentes, a sua maioria é silvestre. Apenas menos de 1% busca o convívio com o homem, devido às condições propícias relacionadas à disponibilidade de alimento, abrigo e água. Estas espécies são chamadas de baratas domésticas. No entanto, as baratas vivem em qualquer ambiente independente do grupo étnico ou classe social. Embora muitas residências estejam muito bem conservadas, isto não impede que as mesmas venham a sofrer uma infestação a qual será limitada pela falta de alimento e abrigo para estes insetos, taxados como os mais repugnantes dentre os que convivem com o homem.

Pragas Formiga

Formigas: As diferenças de biologia e comportamento entre as diferentes espécies de formigas são acentuadas, variando desde a formiga doméstica, comum de se encontrar dentro de residências, infestando áreas alimentares, até em hospitais, contaminando soro fisiológico e outros equipamentos até a formiga eminentemente rural, especializada em cortar folhas e outras partes vegetais para garantir a sua sobrevivência.

Pragas Pulga

Pulgas: A falta de movimento na casa durante as férias ou durante o período em que um imóvel não é alugado é fator determinante na infestação de pulgas. Os ovos e as pupas são “impermeáveis” à inseticidas, cuja ação se restringe às larvas e aos adultos da pulga. Assim, o controle desta praga deve ser feito tanto através de medidas preventivas quanto curativas.

Pragas Traça

Traças: Em áreas urbanas, as traças podem infestar roupas, papéis, estofados, livros, frutas secas, grãos ou outros alimentos armazenados e muitos outros produtos manufaturados. Em culturas agrícolas, atacam hortaliças e frutos frescos, e outras, se alimentam da cera dos favos produzidos pelas abelhas, destruindo-os e causando perdas aos criadores de abelhas melíferas.

Pragas Aranha

Aranhas: As aranhas são artrópodes do Subfilo Cheliceriformes e pertencem à Classe Arachnida, que abrange também os escorpiões, opiliões, ácaros, e pseudoscorpiões dentre outros. As principais características são os quatro pares de pernas, o corpo dividido em duas regiões, o prossoma (ou cefalotórax) e o opistossoma (ou abdome), e a presença no prossoma de quelíceras e pedipalpos. As quelíceras são estruturas em forma de pinça que participam da captura de presas, os pedipalpos têm primariamente a função sensorial.

Pragas Marimbondo

Marimbondos: Marimbondo é o nome comum para designar Himenópteros (Hymeno – membrana) + (ptera- asas), que são vespas das famílias Vespidae, Pompilidae ou Sphecidae. Existem espécies solitárias e sociais. Os marimbondos (vespas) solitários fazem seus ninhos das mais diversas formas; a maioria caça lagartas e leva para dentro de seus ninhos para servirem de alimento às larvas. Identifica-se um marimbondo solitário, pois, na maioria das vezes, possuem coloração preta com manchas amarelas e variam de 10 a 25 mm de comprimento.

Pragas Carrapato

Carrapatos: Os carrapatos hoje constituem o segundo maior grupo em importância como vetores de doenças infecciosas por utilizarem mais de um hospedeiro e possuírem ampla distribuição geográfica. O maior potencial e risco para a transmissão de patógenos para seres humanos são em regiões de florestas, cerrados nativos, descampados e pastagens. Os fatores que favorecem a transmissão desses patógenos são a quantidade de parasitas sobre o hospedeiro, menor grau de especificidade dos carrapatos e longos períodos de jejum.

Pragas Ácaro

Ácaros: De acordo com a Taxonomia, ciência que estuda, classifica e descreve as espécies, os ácaros estão agrupados no Filo Arthropoda (animais com patas articuladas e exoesqueleto de quitina), Classe Arachnida e Ordem Acari. Espécies do gênero Ornithonyssus, conhecidos entre nós como “piolhinhos” de ninhos de galinhas, podem parasitar os humanos, sugando sangue e provocando uma dermatite, com prurido (coceira) intenso na maioria das vezes.

Praga Broca

Brocas: Brocas são pequenas larvas de besouros, sendo as mais comuns pertencentes à família Anobiidae e Lyctidae. Constantemente confundidas com os cupins (Isópteros), as brocas (Coleópteros) diferenciam-se dos primeiros uma vez que ao invés de deixarem orifícios repletos de pó na forma de pequenos grânulos, deixam o material completamente corroído na forma de um pó fino, como um talco. Além disso, elas não são insetos sociáveis, ou seja, apesar de comporem uma quantidade imensa de indivíduos na infestação de um local, cada um vive independente do outro. Brocas são seres capazes de sobreviver em condições de umidade bastante baixas (30%). São encontradas em livros, couro, madeira, forros, batentes, tecidos, gesso e até cabos elétricos.

Praga Roedor

Roedores: Os ratos possuem hábito noturno. Isto significa que eles saem em busca de alimento somente durante a noite, uma vez que é o período mais fácil de obter alimento e menos perigoso também. Mais ainda, utilizam principalmente o tato, a audição e o olfato para a obtenção do alimento, uma vez que esses sentidos são mais aguçados do que a visão. Como eles têm várias habilidades físicas – nadar, subir em locais altos, saltar ou mesmo equilibrar-se em fios e cabos – eles conseguem obter alimento mesmo que esse esteja em locais de difícil acesso. Eles podem bloquear a respiração por até três minutos, permitindo a natação dentro de canos e esgotos.

Praga Morcego

Morcegos: A classe Mammalia, que engloba os mamíferos, caracteriza-se por animais vertebrados, possuidores de corpo de pêlos e que nutrem seus filhotes no início de seu desenvolvimento por leite secretado pelas glândulas mamárias das fêmeas. Estes são subdivididos em 19 ordens, entre as quais, encontramos a dos Chiroptera, onde estão agrupados os morcegos.

Praga Escorpião

Escorpião: Os escorpiões geralmente possuem hábitos noturnos e vivem sob cascas de árvores, pedras, fendas de rochas ou buracos no solo, onde descansam e protegem-se dos seus predadores. A maioria das espécies vive no ambiente terrestre como florestas, pastagens ou desertos, porém, algumas vivem em cavernas, zonas entremarés, sobre as árvores ou associadas às bromélias

Praga Barbeiro

Barbeiro: Na Ordem dos hemípteros incluem-se insetos conhecidos como “percevejos-de-cama, percevejos-de-mato, barbeiros e barata d’água. Todas as espécies de triatomíneos são vetores potenciais do Trypanosoma cruzi, mas apenas em alguns poucos casos, todas as condições necessárias são preenchidas para transformar uma espécie potencial em um real e efetivo transmissor da doença de Chagas humana”, essas condições são: adaptação à habitação humana, alto grau de antropofilia, curto espaço de tempo entre hematofagia e defecação e larga distribuição geográfica dos agentes.